O que elas procuram na sexshop depois dos 60

19 de agosto de 2014, escrito por Redação i3i, na categoria Intimidade

Fonte

Conteúdo exclusivo © i3i

Sexo já deixou de ser tabu há muito tempo, em especial na terceira idade. Uma prova disso é a presença das clientes seniors nas lojas de sexshops. Apesar de não segmentar o grupo por idade, pesquisa sobre o mercado erótico e sensual brasileiro de 2014 mostra que 60% dos clientes de sexshops são do sexo feminino.

Mas afinal do que elas estão atrás? A lista de produtos não é modesta. Ao contrário, é bem vasta e tem até ranking. O líder de vendas é o vibrador. Oferecido em vários modelos, tamanhos e formatos, o item é procurado tanto pelas solteiras quanto pelas casadas. Segundo Anderson Gabriel,  proprietário de uma sexshop, muitas mulheres chegam a escolhê-lo com os maridos. “É um acessório para o casal se divertir junto”, comenta. O proprietário recorda de uma senhora de 80 anos que chegou à loja acompanhada do marido para comprar alguns “brinquedinhos” para uma noite especial. “Antes de qualquer coisa, os produtos servem para animar a relação, como um complemento, nunca um substituto. Por isso, é fundamental estar atento às novidades”, resume.

 


Lojas especializadas em material erótico registram aumento na presença das mulheres da terceira idade e a quebra de tabus quando o assunto é sexo

Em alguns casos, a utilização do vibrador é recomendada por especialistas. A psicanalista e sexóloga Rafaela Couto explica que após a menopausa a parede da vagina fica um pouco mais fina, o que faz com que as relações sexuais possam gerar desconforto. Para evitar que isso ocorra, é indicado o uso periódico de um vibrador associado ou não a hidratantes. Esse procedimento faz com que o desconforto acabe e permite que a mulher estimule o seu lado mais erótico. “É importante compreender que a velhice não é uma doença. Ela provoca mudanças no corpo, mas que podem ser facilmente adaptadas”, explica. A recomendação é não deixar o desejo sexual de lado e procurar orientação profissional quando for necessário.

Um das adeptas dos brinquedos eróticos é a dona de casa GC, 59 anos. Magra, esguia e ostentando lindos e longos cabelos loiros, ela não tem medo da idade. Até porque o tempo foi generoso. Casada e mãe de três mulheres adultas, aparenta, no mínimo, uns 15 anos a menos. Sem pudores, comenta com desenvoltura sobre suas peripécias com os diversos modelos de vibradores que tem em casa e que usa com e sem o marido. O assunto é até alvo de conversa entre ela e as filhas, que também admitem se divertir com os acessórios.

 

Colorida e ousada, a lingerie é sempre destaque
 

O segundo item mais procurado nas sexshops é a lingerie. Espartilhos, meia-arrastão e fantasias são algumas das vestimentas em maior evidência e que apimentam a relação entre quatro paredes. Os espartilhos têm várias vantagens. Entre elas, o fato de que ficam bem em todos os tipos de corpos, além disso, nem sempre precisam ser “tirados” no momento da diversão. Quando o assunto é fantasias, a variedade é grande, mas uma das preferidas é a de “colegial”. A escolha do personagem deve estar sempre ligada à desenvoltura e ao interesse de cada mulher. Há modelos mais ousados e aqueles mais comportados. A indicação é que, no momento da compra, a cliente pense no modelo que a deixará mais confortável e desinibida.

 

Cosméticos, um mundo de sensações

Mas na lista dos mais vendidos na sexshop ainda há espaço para um grupo bem interessante: os cosméticos. São sprays, pomadas, cremes e óleos que buscam potencializar o prazer e trazer uma animação extra para o casal no momento de intimidade. O vendedor de sexshop Robert Nilton explica que a variedade é grande e surpreende algumas clientes. “Há produtos que buscam a estimulação, deixam a pele mais sensível e outros que dão uma sensação de calor. Vale tudo”, revela. Na loja, o destaque é o “líquido vibrante”, uma espécie de gel que provoca várias sensações ao entrar em contato com a pele, como um leve formigamento, seguido por uma onda de calor. “Agora, imagine isso em algumas partes do corpo”, brinca o vendedor.

Trabalhando com o mercado de produtos eróticos há apenas três anos, Anderson Gabriel lembra que a presença das mulheres da terceira idade na loja o surpreendeu. Porém, com o tempo, viu que elas representam um público fiel e interessado. “Elas compram muito e sempre estão à procura de novidades”, revela o proprietário da loja Intimato. E acrescenta: elas se mostram mais disponíveis e abertas a novidades do que as mais novas. “A maioria das mulheres tem experiência e não tem preconceito em relação ao que querem e procuram.”

O sexo e a felicidade

É praticamente impossível pensar em longevidade sem considerar a importância de uma vida sexual ativa e estimulante. A sexóloga Rafaela Couto lembra que o sexo produz endorfina, conhecido como o hormônio da felicidade. “Fazer sexo deixa as pessoas felizes. Faz com que elas fiquem mais estimuladas. É essencial que o sexo esteja presente na vida das pessoas, mesmo quando a velhice chega”, afirma.



Cosméticos com funções estimulantes motivam vendas em todas as idades

Gostou do nosso conteúdo? Acompanhe pelo Facebook


Tags: Sexo,

Notícias relacionadas:

Ou se preferir veja uma listagem com todas as notícias do i3i!

Comentários!
Use a caixa de comentários abaixo para comentar, compartilhar e interagir com os leitores do site.

O i3i também está no Facebook

Veja abaixo o que os seguidores da nossa fanpage estão dizendo sobre essa matéria.


Você também vai gostar de ...

Encontre-nos no Facebook

i3i ® 2014. Todos os direitos reservados.