Perigo na cozinha: nunca lave o frango

23 de junho de 2014, escrito por Redação i3i, na categoria Saúde

Fonte

Muitas donas de casa não sabem dos riscos a que estão expondo suas famílias quando, ao preparar o tradicional frango, levam a carne crua para baixo da torneira.


Respingos distribuem bactérias e são um risco de contaminação cruzada.

Ao contrário da ideia de que lavar significa limpar a ave, o ato põe em risco a saúde porque as gotículas de água que espirram contaminam diversos objetos e outros alimentos. Para conscientizar as pessoas sobre esse risco, a Food Standards Agency, órgão que controla a qualidade dos alimentos na Inglaterra, deu início a uma campanha em 2014. A ação busca conter a propagação de bactérias como a Campylobacter, uma das principais causas de intoxicação alimentar no Reino Unido. Em muitos casos, a contaminação resulta em dor abdominal, diarreia severa e vômito, mas pode ser fatal e levar a quadros severos de paralisação. A Campylobacter é responsável pela maioria dos 280 mil casos de intoxicação alimentar registrados por ano em todo o Reino Unido. A FSA estima que quatro de cada cinco deles são causados por carne de frango contaminada. “Estamos convidando as pessoas a pararem de lavar o frango cru e realizando ações de sensibilização para os riscos de contaminação cruzada”, pontua a presidente-executiva da FSA, Catherine Brown. Segundo pesquisa feita com 4,5 mil adultos na Grã-Bretanha, 44% dos entrevistados admitiram que lavam a ave antes de cozinhar. Um ato em vão, já que o consumidor não consegue retirar totalmente as bactérias presentes, uma vez que elas ficam aderidas às fibras. A única forma de matá-las é o cozimento em altas temperaturas. No caso do frango, a morte das bactérias ocorre aos 74ºC.

A luta contra a lavagem da carne crua está muito mais relacionada à propagação da bactéria para outros alimentos do que diretamente à ave. Isso porque, geralmente quando a carne de frango é cozida, as bactérias são eliminadas. Contudo, deixam herança nas mãos, na roupa do cozinheiro, na pia da cozinha, em utensílíos domésticos e até em alimentos próximos. Por isso, a FSA prega que ao cozinhar qualquer corte a dona de casa prefira sempre levá-lo da bandeja direto para a panela. E, após o preparo, caprichar na higine dos equipamentos e das mãos.

Quatro regras para prevenir a contaminação com carne crua

1) Guarde o frango cru em um recipiente tapado sempre na parte inferior da geladeira para que o “suco” da carne não corra o risco de pingar sobre nenhum outro alimento.
2) Nunca lave a carne. O cozimento matará todas as bactérias presentes, mas aquelas que forem espalhadas na cozinha pelos respingos ficarão vivas para contaminar outros alimentos.
3) Lave e limpe todos os utensílios, tábuas de cortar e as superfícies utilizadas para a preparação da ave crua. Lave bem as mãos com água morna e sabão após o manuseio. 
4) Certifique-se de que o alimento que você vai servir está integralmente cozido. Faça um corte nas partes mais grossas e confira se não há áreas rosadas, o que indica cozimento insuficiente.
Fonte: FSA

Veja o vídeo da campanha institucional criada pela Food Standards Agency: 




Gostou do nosso conteúdo? Acompanhe pelo Facebook


Tags: Alimentos,

Notícias relacionadas:

Ou se preferir veja uma listagem com todas as notícias do i3i!

Comentários!
Use a caixa de comentários abaixo para comentar, compartilhar e interagir com os leitores do site.

O i3i também está no Facebook

Veja abaixo o que os seguidores da nossa fanpage estão dizendo sobre essa matéria.


Você também vai gostar de ...

Encontre-nos no Facebook

i3i ® 2014. Todos os direitos reservados.