Uma aventura pelas belezas do Pantanal

27 de maio de 2014, escrito por Redação i3i, na categoria De bem com a vida

Fonte

Seja na época das águas, quando a paisagem se enche de um exuberante azul, seja durante a seca, quando os animais saem de suas tocas, o Pantanal é um dos locais mais peculiares e cheios de nuances do Brasil. Mesmo para quem não gosta da vida ao ar livre nem do contato tão próximo com mosquitos e borrachudos, é impossível sair indiferente a um passeio à região, que se divide entre os estados do Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. Basta fechar os olhos e sentir a natureza, ouvir os sons e viver as aventuras que todos os anos atraem milhares de turistas de diversos cantos do mundo para esse refúgio brasileiro.


Paisagens encantadoras motivam turismo fotográfico na região. Foto: Getty Images

Além de uma beleza natural impossível de ser descrita em palavras (ela precisa ser sentida in loco), o Pantanal oferece ao visitante gastronomia de primeira e roteiros dignos dos documentários da National Geographic. A região é repleta de fazendas que permitem desde uma imersão na produção de gado até a visitação a áreas de preservação. Mas o dia no Pantanal começa cedo e exige muito repelente.

Geralmente, os roteiros iniciam-se com o raiar do sol com caminhadas e cavalgadas, sempre de acordo com as condições meteorológicas. 
Um dos programas mais atrativos é o safari noturno de Jeep 4X4, onde é possível fazer focagens em busca de cervos, jacarés e outros animais. Difícil mesmo é sair de lá sem uma certa intimidade com os jacarés que povoam as redondezas. Com os dias, o turista acaba até se acostumando com eles. Do quarto de algumas pousadas, erguidas em cima de palafitas, é possível ver os olhos vermelhos à espreita.

Vista idêntica para quem está à beira da piscina ouvindo uma moda de viola sob a luz da lua. Mas tudo ocorre na mais perfeita segurança para os turistas que souberem respeitar a natureza e seguir as orientações dos experientes guias locais. Ao final da tarde, os passeios de barco permitem avistar aves raras e sempre se alimenta expectativa de encontrar a tão temida onça indo beber água. Os nativos garantem que, volta e meia, ela dá o ar da graça.

Para os amantes da fotografia, o pôr-do-sol pantaneiro é um show à parte. Ornamentado pela árvore símbolo do Pantanal, o Ipe,  o sol dá adeus deixando em quem fica a sensação de que ainda há um mundo a ser salvo. Aves gorjeiam sobre as árvores. Tuiuius gigantes acomodam-se para dizer até logo. A noite cai e é hora de se entregar às tentações da gastronomia local. O peixe assado e a influência mineira prometem uma experiência inusitada. Para quem for mais ousado, ainda há espaço para provar um  tererê, uma espécie de mate amargo servidor na guampa com gelo.

Um bom exemplo de integração entre a produção e a natureza é o Refúgio Ecológico Caiman, localizado no município de Miranda (MS), a 236 km de Campo Grande. Desenvolve, além do ecoturismo, atividades de pecuária extensiva e apoia ações de pesquisa e conservação ambiental como o Projeto Arara Azul, o Projeto Onçafari e o Projeto Papagaio-Verdadeiro.
 
O verão no Pantanal é quente, com temperaturas em torno de 25ºC a 40ºC. Durante o inverno, o clima é ameno e seco, entre 18ºC a 30ºC, mas, ocasionalmente, frentes frias podem derrubar a temperaturas para até 8ºC. 


Roteiros permitem proximidade entre o turista e os animais, inclusive os jacarés. Foto: Getty Images

Atenção na hora de marcar a viagem

Não existe uma época ideal para se visitar o Pantanal, mas cada período do ano reserva peculiaridades de acordo com a intensidade de chuvas. Por isso, antes de marcar sua viagem verifique quais são seus objetivos. 

Estação das Águas (de Dezembro a Março)

Com as chuvas de verão, parte da região fica alagada, a fauna e a flora se revigoram e o Pantanal atravessa uma de suas épocas mais exuberantes. As principais características desta época são as mais belas paisagens, com água por todas as partes e muitas aves aquáticas, como o tuiuiú, os cabeças-secas, o carão, patos, marrecas e garças. Entre os mamíferos mais comuns pode-se encontrar a capivara, o lobinho e os veados: campeiro e catingueiro. As plantas aquáticas estão em reprodução e pode-se observar as mais diferentes formas e cores, além de muitas borboletas e outros insetos. Também é a época de se observar o mais lindo pôr-do-sol do ano.

Estação da Vazante - (de Abril a Junho)

Em abril, as chuvas param e o nível das águas começa a baixar formando lagoas e poças d'água, onde milhares de peixes ficam presos, servindo de banquete às aves aquáticas. A temperatura fica mais amena, e as noites mais estreladas. Os mamíferos que se dispersaram na estação da cheia começam a retornar e dar o ar de sua graça. Com sorte podemos observar espécies como queixadas e catetos, o cervo-do-pantanal, e os macacos: bugio e prego.

Estação da Seca - (de Julho a Outubro)

É o melhor período para a observação da vida selvagem. A falta de chuvas encolhe as lagoas, revelando a planície e facilitando o transporte por terra. Os campos começam a secar, oferecendo vastas áreas para pastagem, onde os mamíferos buscam alimento e água nas poças d’água remanescentes. A partir de agosto ocorre a floração dos ipês, localmente chamados de piúvas (rosas) e paratudos (amarelos). As aves entram na estação reprodutiva, vocalizando muito e com suas plumagens em melhor estado. Também é a melhor época para observar os tamanduás, quatis e mãos-peladas.

Estação da Enchente - (de Novembro e Dezembro) 

É o período em que chove bastante no Pantanal, mas não o suficiente para alagar. Devido ao longo período de seca, demora um tempo para que o solo sature de água a ponto de transbordar. Também é a época de muita fartura de alimento para as aves que iniciaram sua reprodução nos meses anteriores, sendo muito comum avistar filhotes se alimentando com seus pais.


Passeios de barco e focagens noturnas garantem diversão a todas as idades. Foto: Getty Images

O que não pode faltar na mala: 

• Roupas confortáveis e resistentes. Bermudas e camisetas são apropriadas, mas não esqueça de levar calças compridas, camisas de mangas longas e de cor clara. É importante considerar que as roupas escuras atraem mosquitos; 

• Pelo menos dois pares de sapatos confortáveis, como tênis para caminhada. Lembra-se que muitos passeios farão com que você molhe os pés. 

• Chapéu ou boné; 

• Repelente de insetos;

- Mais repelente de insetos; 

• Protetor ou bloqueador solar; 

• Óculos de Sol com filtro UV;

• Binóculos;

• Capa de chuva e lanterna; 


Fonte: Refúgio Ecológico Caiman


Gostou do nosso conteúdo? Acompanhe pelo Facebook


Tags: Viagem,

Notícias relacionadas:

Ou se preferir veja uma listagem com todas as notícias do i3i!

Comentários!
Use a caixa de comentários abaixo para comentar, compartilhar e interagir com os leitores do site.


Você também vai gostar de ...

Encontre-nos no Facebook

i3i ® 2014. Todos os direitos reservados.