Como está o casamento contigo?

10 de setembro de 2014, escrito por Anmol Arora

Fonte

O casamento mais difícil é o casamento conosco. Muitas vezes estamos em crise no relacionamento com o outro, e, na verdade, a crise é nossa. Como identificar isto? As vezes precisamos enlouquecer , espernear, nos deprimir, querer morrer, até que se faça o diagnóstico! Crise conjugal no casamento comigo! Como tratar? Em primeiro lugar, você pode desistir de qualquer relacionamento, menos de si mesmo. Esses dias uma paciente deprimida saiu de férias e, na volta, perguntei como estava. Disse-me que não estava bem, pois teve que levar ela mesma na viagem. Enquanto vivos, não temos férias de nós mesmos. Apenas um pouco de desligamento quando dormimos. E olhe lá!!!


Antes de casar, resolva suas pendências. Não espere que o outro resolva os seus problemas

O único jeito é melhorar essa relação. Muitas vezes tememos ficar só porque não toleramos o vazio que há em nós. Esse vazio pode nos iluminar ou nos enlouquecer...ou os dois...Torço sempre para que o enlouquecimento venha primeiro. Saber lidar com os nossos medos, dúvidas e traumas se faz necessário para que possamos estar felizes conosco. O que mais queremos nessa vida é amar e sermos amados. Se conseguimos amar, ser amado fica mais fácil. Quando buscamos incessantemente que alguém nos ame, com certeza é porque falta amor próprio.
A relação consigo entra em crise quando não estamos nos amando plenamente. E isso é o que aumenta a autoestima, termo tão usado no mundo ocidental. Se você recebeu amor suficiente na infância, tratar as crises de baixa autoestima é algo simples. Se faltou amor nos primeiros anos de vida, vai lhe dar um pouco mais de trabalho, mas você consegue. Se você está procurando alguém que lhe dê carinho, lhe cuide e lhe respeite, avalie se na relação consigo existe carinho, cuidado e respeito. Encha a sua taça de coisas boas. Em algum momento ela vai transbordar e você estará pronto para casar, ou se relacionar, ou ficar bem com alguém, o que você quiser... Tente não se casar com a taça vazia, nem meio cheia. Você vai querer que o outro a preencha. Se você não se aguenta por muito tempo, quem vai aguentar você? O risco de não dar certo é muito grande nessas condições. Tratar as próprias carências faz com que você não apresente ao outro uma conta que é sua, e de mais ninguém. Quando a sua taça de amor transbordar, esse é o momento ideal para você se casar. Já pensou o casamento de duas taças que transbordam amor? Difícil não dar certo.



Mais colunas de Anmol Arora


Você encontra essa coluna na nossa Fan Page no Facebook ...

Replicamos a nossa postagem do facebook para você não perder nenhum comentário, curtida ou compartilhamento!

Anmol Arora



Nasceu na Índia em 1965. Reside no Brasil desde 1971. Formou-se em Medicina pela Universidade Federal do Ceará. Especializou-se em Psiquiatria no Rio Grande do Sul. Trabalha numa visão humanística utilizando técnicas de autoconhecimento e Yoga. Co- autora do livro Terapias Quânticas do físico quântico Harbans Lal Arora. Co-fundadora da ONG Mente Viva que trabalha com a Meditação pela paz escolas.

i3i ® 2014. Todos os direitos reservados.